sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Caco de Vidro

















Gosto do poema selvagem;
do que arranha a imagem
e irrompe das entranhas
gritando para as montanhas:

Hei de chegar bem alto!
Gosto de poema do asfalto;
de poema andarilho,
que foge do trilho...

Gosto do poema quase rústico;
do não arquitetado,
do não planejado...

Gosto do poema caco de vidro
que, além de cortar,
ao sol consegue brilhar.


A.J. Cardiais
16.08.2016
imagem: google

Soneto Dolorido















Não queria falar de dor...
Mas como não falar,
se é o que me acontece agora,
e que me devora?

Tento ocultar esta fase,
enrolando a ideia com gaze.
E me penitencio
fazendo silêncio...

Mas a dor é mais forte
e rasga no silêncio um corte,
fazendo jorrar um soneto... 

Aí jorra um soneto dolorido,
que vai escorrendo do peito
e deixa o povo comovido.

A.J. Cardiais
03.08.2016
imagem: google

sexta-feira, 29 de julho de 2016

De Hoje Para Amanhã


















O que escrevi hoje,
pode não servir para amanhã...
Pode não ter mais o mesmo elã.

O que escrevi hoje,
amanhã pode estar podre...
Uma ideia apodrecida
pode prejudicar a vida.

O que escrevi hoje,
amanhã poderá ficar ausente
para prevalecer o presente.



A.J. Cardiais
02.03.2015

Teoricamente



Não me perguntem nada,
porque não sei explicar teorias.
Sinto o nascer das poesias,
quando a vida está engravidada.

Sou o poeta que mete a mão
nas “obras primas” da literatura.
Sou o que ainda procura,
por um fiozinho de inspiração.


A.J. Cardiais
02.01.2015
Imagem: Google

Impropérios















O mundo é imperfeito,

ou tudo está perfeito?

Por que as pessoas são

cada uma de um jeito?

                  

Se todos fossem iguais,

o que seriam os anormais?

Quem é que se importa

com esta joça?



E o pobre do poeta rimando,

ruminando

e se torturando...



Procurando uma saída

para continuar existindo

em sua própria vida.



A.J. Cardiais
01.01.2015

quarta-feira, 15 de junho de 2016

O Que Temer Deveria Ter Lido

Imagem: Google
                          
Temer e os golpistas deveriam ter lido este trecho do livro “Exploda a Crise Faça Sucesso”, de Lauro Trevisan:

Muita gente se ilude pensando que consegue sucesso definitivo por meios escusos, como violência, injustiça, intriga e desonestidade.
Propor-se, por exemplo, ser presidente da república e conseguí-lo por meio de fraude, violação das urnas, chantagens, ameaças, sabotagens, não é sucesso, porque este exige que o objetivo seja atingido por meios positivos. No caso, o que ocorreu foi uma usurpação
Como, pela lei da mente, o que se planta se colhe, usurpação produz usurpação.
Tudo que é falso, cai na desgraça, mais cedo ou mais tarde.

Toda mentira morre por si mesma.                                                                                                                            
A falsidade, a fraude, o roubo, o calote, a injustiça, a violência, são, além de tudo, fruto da incompetência e esta é anti-sucesso. O incompetente pretende sempre tapar o sol com a peneira. Tempo perdido.                                                                                                                                                                                     
É bom lembrar que todo ato se paga a si mesmo: maldade produz maldade.    Há uma frase consagrada na sabedoria popular que diz assim: “Ninguém consegue enganar muitos por muito tempo”. Os assaltantes, bandidos, sequestradores, ladrões, caloteiros, enganadores, infalivelmente acabarão caindo na vala comum dos desgraçados. Talvez você tenha a equivocada crença de que para subir na vida, é preciso passar os outros para trás, porque o mundo é dos espertalhões. Examinem a vida dos que assim pensam e procedem e se surpreendam em saber que todos são literalmente fracassados. Sim, porque o mal nunca pode produzir o bem, a sombra jamais ofuscará a luz do sol.

Trecho do livro: Exploda a Crise Faça Sucesso     de Lauro Trevisan – Edição de lançamento – janeiro de 1996. Editora e Distribuidora da Mente                                                          

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Sonhos e Planejamentos















Estou evitando sonhar,
porque sonho muito alto...
E ultimamente estou precisando
de sonhos mais baixos,
mais próximos da realidade.

Quando eu sonho por sonhar,
deixo minha mente voar
sem nenhum medo de cair.
Se o sonho não se realizar,
não estou nem aí.
Mas agora não dá para brincar...
Meu sonho precisa se concretizar.
Acho que agora
não é hora
para sonhar...
Eu tenho é que planejar.


A.J. Cardiais
05.11.2015
imagem: google

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Lágrimas Ácidas

´


















Choro...
Mas minhas lágrimas
estão ácidas,
ardem meus olhos.

Estas lágrimas ácidas,
talvez seja o resultado
de gritos aprisionados,
de estouros reprimidos.

Choro,
tentando apagar
uma sensação ruim...

Mas minhas lágrimas são lavas,
e saem queimando tudo,
dentro de mim...

A.J. Cardiais

23.10.2015    
imagem: google